Print Friendly, PDF & Email

O SCFV de Cajueiro durante o mês de novembro trabalhou com temáticas conforme os princípios e diretrizes do Sistema único de Assistência Social (SUAS) como: “Criança Não Namora Nem de Brincadeira”, “Cultura Local e Cultura do Rio Grande do Norte”, “Dia da Consciência Negra”.

Os assuntos foram trabalhados com todas as faixas etárias entre (4 a 10, 11 a 14, 15 a 18 anos), a transmissão ocorreu de forma lúdica possibilitando aos usuários uma aprendizagem significativa.

A primeira temática abordada fez referencia “A conscientização que Criança deve ser Criança”, tendo como principal objetivo informar e  estimular o debate sobre os riscos da erotização precoce; a segunda temática a ser discutida foi a “Cultura local e a cultura do RN”, essa teve como principal objetivo favorecer um espaço de discussão  sobre a valorização da  identidade cultural  local e do RN, apresentando as contribuições e características de nossa cultura como um mecanismo de divulgação e afirmação de seus valores perante nossa sociedade.

Já a terceira temática foi incluída dentro da segunda, pois faz parte da história do Brasil, a cultura Afro Brasileira, momento marcante com alusão ao Dia 20 de Novembro – Dia da Consciência Negra. A exposição teve como principal objetivo valorizar e homenagear o grande líder herói batizado por Francisco e conhecido como Zumbir do Quilombo dos Palmares.

Ainda como atividade relevante aos grupos de 15 a 18 anos foi oportunizado uma festa havaiana com intuito de oferecer um momento especial de entretenimento para os adolescentes como forma de valoriza-los dentro da sociedade. Cabe mencionar que todos, também, tiveram o prazer de participarem da oficina de confecção de colar e tiara havaiana, preparativos para a referida da festa.

Os demais dias foram trabalhados com oficinas: Dança, Balé, Flauta Doce, Música, Banda Musical. Ao final de cada atividade foi oferecido lanches para as crianças, adolescentes e jovens. Vale lembrar que essas mesmas atividades foram desenvolvidas nos CRAS Itinerante do Geral e Santa Luzia.

A metodologia aplicada nessas atividades aconteceu através do diálogo em rodas de conversas, palestras, exposição de multimídias, dinâmicas relacionadas às temáticas.

O lúdico tem sido uma das melhores técnicas para alcançar os objetivos pretendidos ao aprendizado dos usuários, tem favorecido um espaço agradável viável para interação, contribuindo para o desenvolvimento físico, intelectual e emocional. A avaliação ocorre sempre de forma continuada e cumulativa, pois através dela o sujeito passa a tomar consciência de seus atos, tornando-se mediadores e protagonistas da sua própria história, segundo Jussara Hoffmann em sua defesa na “Avaliação Mediadora’’.

 

Roda de Conversa/Multimídia/Oficina/Palestra – CRAS – Cajueiro

“Criança Não Namora nem de Brincadeira”, “Cultura Local e do RN”, Dia da Consciência Negra”. (grupo: 04 a 10 anos – matutino/vespertino)

 

Roda de Conversa/Multimídia/Oficina/Palestra – CRAS – Cajueiro

“Criança Não Namora nem de Brincadeira”, “Cultura Local e do RN”, Dia da Consciência Negra”. (grupo: 11 a 14 anos – matutino/vespertino)

 

Roda de Conversa/Multimídia/Oficina/Palestra – CRAS – Cajueiro

“Criança Não Namora nem de Brincadeira”, “Cultura Local e do RN”, Dia da Consciência Negra”. (grupo: 15 a 18 anos – matutino/vespertino)

 

Roda de Conversa/Multimídia/Oficina/Palestra – CRAS – Geral

“Criança Não Namora nem de Brincadeira”, “Cultura Local e do RN”, Dia da Consciência Negra”. (grupo: 04 a 10 anos – matutino/vespertino)